Polémica leva a fim de parceria do Facebook com a Huawei

O Facebook anunciou hoje o fim da parceria com os chineses do Huawei, que envolvia a partilha de dados de utilizadores da rede social com o grupo de telecomunicações, que Washington considera uma ameaça à segurança nacional.

Os fabricantes chineses Huawei, Lenovo, OPPO e TCL estão entre as empresas com quem o grupo partilhou dados, de forma "controlada", admitiu na quarta-feira o vice-presidente do Facebook, Francisco Varela.

O Huawei esteve sob investigação pelo Congresso dos Estados Unidos, que num relatório de 2012 considerou que a empresa tem uma relação próxima com o Partido Comunista Chinês.

Agências governamentais e o exército norte-americano baniram recentemente telemóveis fabricados pelo Huawei devido a questões de segurança.

Na quarta-feira, o grupo chinês garantiu que nunca armazenou dados de utilizadores nos seus servidores. O porta-voz do Huawei, Joe Kelly, disse que a parceria visava tornar os serviços do Facebook mais convenientes para os utilizadores dos seus telemóveis.

Uma investigação do jornal The New York Times revelou esta semana que o Facebook estabeleceu acordos com 60 fabricantes de dispositivos móveis, que tiveram acesso, sem o consentimento explícito, a vários dados pessoais dos utilizadores, como religião, tendências políticas, amigos, eventos e estado civil.

Em abril passado, Zuckerberg esteve no Congresso norte-americano para testemunhar no caso que envolve a empresa Cambridge Analytica, que usou, indevidamente, dados de 87 milhões de utilizadores do Facebook.

Em maio, Zuckerberg foi ouvido no Parlamento Europeu e pediu desculpa pelo uso indevido de dados pessoais dos utilizadores.

A Huawei tem escritórios em Lisboa, onde conta também com um centro de inovação e experimentação.

Segundo a AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), desde 2004, a firma chinesa investiu 40 milhões de euros em Portugal.

O Instagram pode vir a tornar-se um rival do YouTube

As últimas informações referem que a rede social terá um separador dedicado a conteúdos de vídeo.
Depois de circularem rumores que o Instagram introduzirá a capacidade de os seus utilizadores publicarem vídeos com até uma hora de duração, o TechCrunch adianta que os planos da empresa vão mais longe que isso.

De acordo com a publicação o Instagram lançará um separador onde será possível encontrar vídeos publicados por criadores de conteúdos da plataforma. É dado o exemplo do Watch do Facebook e do Discover do Snapchat, sendo bastante provável que o Instagram venha a tornar-se um rival de peso do YouTube.

O anúncio poderá ser feito já no próximo dia 20 de junho.

naom_5832b3b19c092.jpg

Um estudo da Kaspersky Lab mostra que a rede social criada por Zuckerberg é onde maioritariamente os roubos de dados dos utilizadores acontecem.

Os hackers continuam a tentar roubar-lhe os seus dados pessoais. Só no primeiro trimestre deste ano, segundo um estudo da Kaspersky Lab, as suas tecnologias anti phishing impediram 3,7 milhões de tentativas de visitas a páginas de redes sociais falsas e criadas para o propósito de enganar cibernautas.

O Facebook continua a ser a plataforma onde mais vítimas são alvo deste cibercrime, sendo que 60% destas tentativas de roubo de informação pessoal foram feita através da rede social de Mark Zuckerberg.

“O phishing de redes sociais é um cibercrime que envolve o roubo de dados pessoais a partir dos perfis de redes sociais da vítima. O hacker cria uma cópia de um site de uma rede social (como uma página de Facebook falsa), para onde tenta atrair vítimas inocentes, levando-as a fornecer os seus dados pessoais – como o nome, palavras-passe, número do cartão de crédito ou código PIN, entre outros”, explica o comunicado enviado pelo Kaspersky Lab às redações.

Nadezha Demidova, Investigadora Principal de Conteúdo Web na Kaspersky Lab defende que “o aumento contínuo dos ataques de phishing – direcionados tanto a redes sociais como a organizações financeiras – revela-nos que os utilizadores devem prestar mais atenção às suas atividades online”.

Demidova realçou também o facto de, mesmo após os recentes escândalos globais, as pessoas continuam a clicar em links inseguros e duvidosos, tendo assim os seus dados extorquidos resultando em ataques “devastadores” que rendem “um constante dluxo de dinheiro para os hackers”.

naom_5b0d60f0a347b.jpg

O objetivo é eliminar contas falsas e estudar os efeitos da rede social entre a sua população.

O governo da Papua Nova Guiné decidiu banir o Facebook do seu território durante um mês, um período que será utilizado não só para eliminar contas falsas como também estudar os efeitos da rede social entre a sua população.

“O governo nacional, levado pela globalização das Tecnologias de Informação, nunca teve a oportunidade de determinar as vantagens e desvantagens [do Facebook] ou até de educar ou guiar no que diz respeito ao uso de redes sociais aos utilizadores da Papua Nova Guiné”, explicou o Ministro das Comunicações do país, Sam Basil, de acordo com o The Guardian.

Apesar de os motivos que levaram a esta proibição parecerem nobres, há especialistas de redes sociais que apontam que medidas semelhantes foram tomadas em outras regiões do mundo em alturas sensíveis de modo a controlar o discurso popular. Porém, é dado o benefício da dúvida pela proibição ser de apenas um mês.

naom_591d4a000a462.jpg

Este vírus terá atacado cerca de 500 mil routers em todo o mundo.

O FBI deixou um aviso à população mundial que dá conta de um vírus informático 'BadRabitt' capaz de dominar o seu router e utilizá-lo para proceder a ataques informáticos.

Este virus já fez mais de 200 ataques na Europa de Leste e terá tido origem na Rússia. O 'BadRabbit' consegue aceder a qualquer router e bloquear o acesso à internet mas não só.

Pode, também, bloquear-lhe o acesso ao seu telemóvel, computador ou quaisquer aparelhos com ligação à internet, tendo total acesso aos seus dados.

"O FBI recomenda que qualquer dono de routers em pequenas empresas ou em casa reiniciem [reboot] os aparelhos", pode ler-se na nota publicada pela Federal Bureau of Investigation no seu site.

A solução (ainda que temporária) passará mesmo por reiniciar o router de forma a interromper o ataque. É estimado que meio milhão de routers em todo o mundo já tenham sido infetados por este vírus criado pelos hackers 'Sofacy Group'.

PROGRAMAÇÃO DE TV

Câmbio do Dia

Moeda Compra Venda
EUR 67.84 69.20
USD 58.60 59.77
ZAR 4.28 4.37
Fonte: BCI, 23 de Junho de 2018

Telefones Úteis

Por provincia

Assista a emissão em directo:

tvm1 smalltvm2 small