Dias
Horas
Minutos
Segundos

sexta, 24 março 2017 14:30

Reduz o tráfego na Portagem de Maputo

fotos_35548_matola_mocambique_portagens_da_matola_estrada_da_fronteira_do_lebombo_a_maputo.jpg

O tráfegodiário de viaturas na Portagem de Maputo tende a decrescer de 2015 a esta parte, suspeitando-se que seja resultado do elevado custo de vida.

De pouco mais de 30 mil carros que passavam por aquele ponto da Estrada Nacional Número Quatro (EN4) em 2007, o número foi progressivamente subindo até o pico de quase 60 mil veículos por dia, em 2015. De lá ao presente momento, o gráfico está a decrescer, posicionando-se, nos dias que correm, em cerca de 48 mil carros a cada 24 horas, de acordo com dados esta semana divulgados pela Trans African Concessions (TRAC).

Fenias Mazive, representante da TRAC no país, não precisou as razões do fenómeno, mas disse que se assiste numa altura em que o país, no geral, e os cidadãos, de forma particular, ressentem-se da crise financeira, associada à subida dos preços dos produtos básicos. Mesmo os combustíveis acabam de ser reajustados em alta.

Contudo, os períodos entre as 05.00 e 09:00, e das 16:00 às 19:00 horas continuam a ser de intenso tráfego na EN4, transitando pela portagem cerca de 4500 viaturas por hora, sendo nestes momentos que a rodovia se revela pequena para a procura por parte dos cidadãos que vivem na Matola e trabalham em Maputo e vice-versa.

Nas manhãs, o movimento é mais intenso no sentido Matola-Maputo, situação que se altera no final da tarde.

O volume de tráfego nos dois sentidos praticamente se iguala entre as 12 e as 14 horas, para logo de seguida começar a contrariar o cenário matinal.

É tendo em conta este cenário de congestionamento na ligação entre estas duas cidades e ao desgaste do piso da estrada que a TRAC está a preparar-se para arrancar com obras de reabilitação e ampliação do troço que começa da Ceres à Praça 16 de Junho.

O percurso tem cerca de 13 quilómetros e as obras de alargamento e melhoria do pavimento, incluindo iluminação pública, deverão começar ainda este ano por um período de 24 meses.

A firma, cujo contrato de concessão com os governos de Moçambique e da África do Sul vai já em 20 de um total de 30 anos, espera investir dois mil milhões de meticais nestas obras.

MULHER-intr.gif

O tráfegodiário de viaturas na Portagem de Maputo tende a decrescer de 2015 a esta parte, suspeitando-se que seja resultado do elevado custo de vida.

De pouco mais de 30 mil carros que passavam por aquele ponto da Estrada Nacional Número Quatro (EN4) em 2007, o número foi progressivamente subindo até o pico de quase 60 mil veículos por dia, em 2015. De lá ao presente momento, o gráfico está a decrescer, posicionando-se, nos dias que correm, em cerca de 48 mil carros a cada 24 horas, de acordo com dados esta semana divulgados pela Trans African Concessions (TRAC).

Fenias Mazive, representante da TRAC no país, não precisou as razões do fenómeno, mas disse que se assiste numa altura em que o país, no geral, e os cidadãos, de forma particular, ressentem-se da crise financeira, associada à subida dos preços dos produtos básicos. Mesmo os combustíveis acabam de ser reajustados em alta.

Contudo, os períodos entre as 05.00 e 09:00, e das 16:00 às 19:00 horas continuam a ser de intenso tráfego na EN4, transitando pela portagem cerca de 4500 viaturas por hora, sendo nestes momentos que a rodovia se revela pequena para a procura por parte dos cidadãos que vivem na Matola e trabalham em Maputo e vice-versa.

Nas manhãs, o movimento é mais intenso no sentido Matola-Maputo, situação que se altera no final da tarde.

O volume de tráfego nos dois sentidos praticamente se iguala entre as 12 e as 14 horas, para logo de seguida começar a contrariar o cenário matinal.

É tendo em conta este cenário de congestionamento na ligação entre estas duas cidades e ao desgaste do piso da estrada que a TRAC está a preparar-se para arrancar com obras de reabilitação e ampliação do troço que começa da Ceres à Praça 16 de Junho.

O percurso tem cerca de 13 quilómetros e as obras de alargamento e melhoria do pavimento, incluindo iluminação pública, deverão começar ainda este ano por um período de 24 meses.

A firma, cujo contrato de concessão com os governos de Moçambique e da África do Sul vai já em 20 de um total de 30 anos, espera investir dois mil milhões de meticais nestas obras.

 

Fonte: Jornal Noticias

Link: http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/capital/65971-adolescente-em-matendene-cuidar-da-mae-doente-a-pensar-nos-irmaos.html

domingo, 19 março 2017 16:14

Diarreias matam em Lichinga

gktuktlhfjrf.jpg

Diarreias mataram 8 crianças no distrito de Lichinga, no Niassa.
Os óbitos ocorreram nas Unidades Sanitárias da região nos primeiros 2 meses deste ano.
As autoridades sanitárias associam a doença a outras patologias como pneumonia e HIV e Sida.

45y645yyehrh.jpg

A população do Arquipélago do Bazaruto recebeu mais de um milhão e duzentos mil meticais para o desenvolvimento de projectos sociais na Ilha.
Trata-se dos 20% referente a taxa de entrada de turistas no arquipélago.

E426F124-DD83-4F8F-B77A-71CA754073DB_cx0_cy14_cw0_w1023_r1_s.jpg

O Serviço Nacional dos Registos e Notariado vai introduzir ainda este ano o Número Único de Identificação Civil, NUIC, que deverá identificar cada moçambicano.
O novo sistema vai trazer vantagens para os eventos vitais do cidadão. O nascimento, óbito, casamentos, filiação e outros eventos que dizem respeito ao cidadão estarão todos devidamente registados.
Tudo com o objectivo de melhorar o atendimento ao cidadão. O que se pretende, de facto, é acabar com as longas filas pelos notários, um pouco por todo o país.

Esta é uma das mudanças a serem introduzidas na modernização dos serviços de registos e notariado, órgão tutelado pelo Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos.
As mudanças a serem introduzidas incluem ainda o pagamento automatizado, ou seja em ATM’s.

eu6iityitit.jpg

O Vice-Presidente do MPLA, João Lourenço, considera que as conquistas alcançadas pelo partido no poder em Angola e, em Moçambique pela Frelimo, na criação do bem estar dos dois povos irmãos devem ser preservadas.
João Lourenço, que efectua a visita de um dia a Moçambique, disse igualmente, estar optimista quanto aos caminhos que o Governo de Moçambique e a Renamo têm estado a trilhar para o alcance da paz definitiva.

ytiyruyetrjytyy.jpg

Falta de locais apropriados para a travessia de pessoas com deficiência física na Estrada Circular de Maputo, coloca em risco a vida da camada social, com mobilidade reduzida e residente no Bairro dos pescadores, em Mapulene.
Para minimizar o sofrimento dos visados, bem como facilitar a travessia, um grupo de boa vontade que presta apoio social a pessoas desfavorecidas, ofereceu esta sexta-feira, cadeiras de rodas a pessoas com dificuldades de locomoção que, vivem o drama no dia-a-dia na Circular.

w54w45w5rtjjj.jpg

Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social reconhece haver fraco domínio de instrumentos legislativos por parte de funcionários públicos.
Victoria Diogo diz que e importante que os funcionários saibam pelo menos classificar as informações que vão ao domínio público de forma a não porem em causa os segredos do Estado.

6eykwtjiufjjjrt.jpg

No Niassa, 2 supostos acampamento ilegais de madeira de pinho acabam de ser desactivados na floresta de Matama, arredores da cidade de Lichinga.
Trata-se de uma área de protecção e utilização sustentável de cerca de cento, sessenta e seis hectares de pinho.

w4whwrgwhqhgq4hq.jpg

Emigrantes moçambicanos na Swazil6andia vao ter documentos de registo civil dentro de 9 meses.
Programada para arrancar dentro de 15 dias a operação vai consistir num registo de raiz para a obtenção de cédulas pessoais, bilhete de identidade e passaportes.
Mais de 20 mil dos 40 mil moçambicanos poderão beneficiar estes serviços.

PROGRAMAÇÃO DE TV

Câmbio do Dia

Moeda Compra Venda
EUR 73.56 75.03
USD 68.26 69.63
ZAR 4.83 4.94
Fonte: BCI, 28 de Março de 2017

Telefones Úteis

Por provincia

Assista a emissão em directo:

tvm1 smalltvm2 small